Você sabe ou arrisca dizer quais são os minérios transportados no Brasil? Antes de revelar, a gente separou alguns dados para você se ligar na importância do assunto. Primeiro, vale reforçar que somos referência na produção e na exportação de minérios.

A atividade representa 4% do Produto Interno Bruto (PIB), sendo que apenas no terceiro trimestre de 2022 o faturamento do setor somou R$ 75,8 bilhões, segundo o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

Só em 2021 a produção mineral foi de 1,15 milhões de toneladas, gerando faturamento de R$ 339 bilhões (informações da Geoscan). Já deu para sacar que o assunto de hoje vale ouro, né? Continue a leitura e veja, além dos minérios campeões, os detalhes e os principais desafios do transporte desse material!

Minérios mais transportados no Brasil

Dá só uma olhada no que o nosso país é mais rico:

  • Alumínio;
  • Cobre;
  • Estanho;
  • Ferro (principal minério do país);
  • Manganês;
  • Nióbio (o mais valioso — o Brasil detém 90% da produção mundial);
  • Níquel;
  • Ouro.

Juntos, estes elementos formam quase 99% da produção mineral brasileira. Como você já deve imaginar, o estado com maior produção é o de Minas Gerais. Também temos pontos de extração nos estados do Amapá, Pará, Goiás, Bahia, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Maranhão.

Fora isso, vale destacar que existe a possibilidade de novos depósitos minerais serem descobertos. O potencial é grande, mas é preciso mais mão de obra qualificada para fazer o conhecimento geológico territorial, investimentos em pesquisas e mineradoras dispostas a investir.

Transporte de minérios

São diferentes os modais utilizados no transporte de minérios. Em primeiro lugar, são os caminhões fora de estrada que passam pelas minas e coletam os minerais e os levam até as rodovias. Esses veículos são mais reforçados e robustos que os tradicionais.

Em seguida, são, preferencialmente, os caminhões do tipo graneleiro, caçamba ou basculante (exemplos: Munck, Pipa, 4×4 cabine tripla ou Comboio) que movimentam a carga até as ferrovias, já que na maioria dos casos são os trens que percorrem o maior trecho do transporte. A rota final em direção à indústria é realizada por um caminhão novamente.

Por serem consideradas cargas secas, você pode ficar mais sossegado em relação à temperatura de transporte e de armazenagem. O principal cuidado é com a umidade. Se liga porque o contato com a água pode causar prejuízo.

Dificuldades na atividade

Apesar do potencial, falta investimento para que os modais aquaviário e hidroviário consigam contribuir no transporte de minérios, ligando ferrovias. E é justamente a necessidade de expansão da malha ferroviária ou a ligação entre modais que a atividade precisa para se desenvolver.

Os caminhões são escolhidos para conduzir algumas viagens completas e têm potencial para realizar mais. Como principal vantagem, eles levam a carga até dentro da siderúrgica, dispensando uma nova parada na ferrovia e o remanejo do minério.

Em outros casos, eles levam o minério apenas até determinado ponto, já que pelo baixo valor agregado da carga, a escolha do veículo pode tornar-se inviável em grandes trechos. Uma tendência é que as grandes empresas de mineração já estão preferindo o transporte exclusivamente rodoviário devido às vantagens, incluindo praticidade, segurança e gerenciamento do frete.

Conclusão

São vários os minérios transportados no Brasil. Juntos, eles assumem um importante papel na nossa economia, tanto pelo faturamento, quanto pela quantidade de empregos gerados e por manter funcionando diversos outros setores que precisam da matéria-prima. O transporte é ainda uma questão em desenvolvimento, já que precisamos de aumentar a malha rodoviária, investir no modal aquaviário/hidroviário ou apostar nos caminhões como as grandes empresas já fizeram.

Tá em dúvida na hora de transportar? Responda o quiz e te indicaremos o tipo de caminhão e carroceria que a sua carga precisa!

Compartilhe: