Vantagens do Big Data na logística e transporte de cargas

2021-02-03T09:30:35-03:0003/02/2021|Categorias: Logística e Transportes|

Coletar e utilizar o grande volume de dados e informações que circulam nas empresas para aprimorar os negócios é o grande objetivo do Big Data na logística. Quer saber mais sobre o tema? Siga o artigo.

As empresas de logística e transporte de cargas lidam diariamente com um grande volume de dados e informações valiosas, até bem pouco tempo atrás desperdiçado já que não era possível capturar e armazenar tudo através de métodos tradicionais. Com a chegada do Big Data na logística, junto com tecnologias robustas que usam a inteligência dos dados a favor dessas operações, isso mudou. 

O termo é derivado da área de tecnologia da informação e se refere a tecnologias, sistemas e processos capazes de lidar com grandes volumes de dados de maneira estruturada. Assim, é possível tratar o grande volume de dados gerados pela logística, mas com o recurso ou possibilidade de usá-los de maneira relevante. Afinal, quanto mais informações as empresas têm, maior é seu conhecimento sobre os clientes e a própria área de atuação.

Como em todas as áreas, o Big Data na logística tem por base o volume ou a quantidade de dados, a variedade, a velocidade, a veracidade assegurada e o valor após análises. São os chamados cinco “Vs”. 

Considerando esses fatores, as fases do Big Data na logística podem ser divididas em coleta de informações brutas, seguida por processamento e análises, chegando à visualização das descobertas. Depois os dados podem ser disponibilizados, preferencialmente, aos envolvidos com a estratégia do negócio.

Quais as vantagens do Big Data?

A aplicação do Big Data na logística pode trazer grandes benefícios ao setor no que se refere aos dados, promovendo o cruzamento de informações que geram valor para o negócio. Por meio dele, os gestores conseguem expandir o controle sobre a cadeia de suprimentos, otimizar serviços operacionais, aumentar a precisão na entrega de seus produtos 

No que se refere ao estoque, por exemplo, a ideia de manter pequenas quantidades de produtos ou o suficiente para atender a demanda, evitando faltas e excessos, é uma decisão estratégica que deve ter por base o monitoramento das informações operacionais por meio do Big Data na logística, que permite controlar a necessidade de reposição, a perda de materiais e apontar a demanda sazonal. 

Também é possível aproveitar o Big Data na logística para identificar os padrões das entregas e garantir maior eficiência da frota, agregando os dados gerados pelos softwares de roteirização. A decisão sobre a necessidade de diversificar ou não a frota ou aprimorar os percursos pode partir daí. 

A integração entre todos os players da cadeia de suprimentos fortalece as relações de parceria. A coleta de dados por meio do Big Data na logística permite que mais informações sejam compartilhadas, trazendo oportunidades de análises para a melhoria dos processos. Assim, eles contam com informações fornecidas por todos, desde o fornecedor primário até a transportadora que realiza a entrega ao cliente. 

Big Data nas estradas

No transporte rodoviário de cargas, com as tecnologias adotadas pelas transportadoras, embarcadores, empresas de rastreamento ou de gerenciamento de risco e seguradoras, há um grande volume de dados gerados ou utilizados em cada uma destas etapas que podem ser captados e cruzados através do Big Data na logística permitindo gerar ideias para melhorar processos e resultados. 

Com o Big Data na logística monitorando o status das principais rodovias, por exemplo, um alerta pode ser disparado a todos os sistemas de roteirização a partir de um evento que comprometa uma via principal, causando maior tempo de espera e o comprometimento de cargas refrigeradas ou com prazo acordado. Uma integração simples pode gerar alertas que vão permitir um recálculo dinâmico de rotas que considerem o evento, sem comprometer os prazos acordados com os clientes. 

Um embarcador pode, por exemplo, mapear e avaliar numa análise mais aprofundada os seus transportadores, no que se refere aos índices médios de ocorrência de sinistros. Ele pode relacioná-los com a participação percentual de cada transportador e ver quais geram mais e menos sinistros. Daí é possível elaborar uma análise das melhores práticas, qualificar ou então selecionar melhor os fornecedores com base em índices de desempenho. 

Maior agilidade e cliente satisfeito

O Big Data na logística permite que o gestor tenha uma visão panorâmica das atividades e identifique os gargalos que podem ser corrigidos, as oportunidades de melhoria no ganho de eficiência, chegando à redução de custos operacionais

Melhorar a experiência do cliente com a empresa e atender suas necessidades também estão entre as grandes vantagens do Big Data na logística, na medida em que o uso estratégico das informações ajuda a antecipar falhas, agilizar as entregas, aprimorar a qualidade dos serviços. No entanto, para que tudo dê certo, vale ressaltar a necessidade de investimentos em recursos de TI bem como do acompanhamento constante dos indicadores de desempenho (KPIs).

 

Confira outro material com o tema em:
https://blog.fretebras.com.br/tendencias-do-transporte-de-cargas/

Compartilhe: