Se você não fizer o gerenciamento de risco no transporte de medicamentos, vai ver o que é bom para tosse. Quem trabalha com logística, sabe que é melhor prevenir do que remediar, certo? A gente não resistiu a esses trocadilhos, mas foram só para quebrar o gelo. 

O artigo de hoje está com informações completas que vão te ajudar a ter mais segurança, eficiência e tranquilidade nas viagens com as cargas farmacêuticas. E nada pode dar errado. Afinal, quase 90 mil farmácias espalhadas pelo Brasil aguardam os produtos. Bora entender?

Quais são os riscos no transporte de medicamentos?

Os medicamentos são itens valiosos, tanto em termos de saúde quanto financeiros, e isso os torna alvos frequentes de roubos de carga. Em 2022, de acordo com a NTC&Logística, produtos farmacêuticos estiveram entre as cargas mais visadas pelos criminosos. Para combater esse problema, o gerenciamento de risco se torna fundamental.

Além dos roubos, o Brasil enfrenta desafios como acidentes de trânsito, o que torna a estratégia correta para o gerenciamento de risco ainda mais necessária. Para completar, a carga ainda pode quebrar, ser contaminada por elementos externos (como manipulação incorreta, poeira e umidade) e ser danificada se não tiver o controle de temperatura adequado. 

Nesses casos, as consequências são muito graves. Estamos falando de multas pelos órgãos regulamentadores e prejuízos, mas de risco à vida dos pacientes que dependem do tratamento.

Por que fazer o gerenciamento de risco no transporte de medicamentos?

O gerenciamento de risco no transporte de medicamentos é um conjunto de práticas estratégicas e operacionais que vão garantir a integridade, a segurança e a eficiência das operações de transporte envolvendo produtos farmacêuticos

Essas práticas vão desde o planejamento das rotas até o monitoramento em tempo real das cargas. Elas incluem também a capacitação de profissionais, a adoção de medidas de segurança, cumprimento de regulamentações específicas e a utilização de tecnologia avançada para rastreamento e prevenção de incidentes.

No transporte de medicamentos, o gerenciamento de risco é extremamente necessário, sabe por quê? Ele ajuda a reduzir ocorrências, cumprir prazos, melhorar a credibilidade da empresa, além de evitar perdas e prejuízos.

A gente separou, por tópicos, alguns dos motivos para você não ignorar o gerenciamento de risco no transporte de medicamentos.

Proteção contra roubo e sinistros

Os medicamentos são alvos frequentes de roubos de cargas, representando uma parcela significativa dos incidentes desse tipo no Brasil. A ausência de um plano de gerenciamento de risco torna as cargas de medicamentos mais vulneráveis a esses ataques, resultando em prejuízos financeiros substanciais.

Cumprimento de regulamentações

O não cumprimento das normas e regulamentos pode resultar em multas pesadas, perda de autorizações e até mesmo ações judiciais. Um bom gerenciamento de risco ajuda a garantir que todas as exigências legais sejam atendidas.

Qualidade dos produtos

Medicamentos são produtos sensíveis à temperatura, umidade e manuseio inadequado. A falta de controle durante o transporte pode comprometer a qualidade dos produtos, tornando-os ineficazes ou até perigosos para os pacientes.

Segurança do consumidor

Em última análise, o transporte de medicamentos está ligado à saúde e segurança dos pacientes. Produtos danificados devido a falhas no transporte podem colocar em risco a vida das pessoas que dependem desses produtos devido a tratamentos médicos.

Redução dos custos operacionais

Incidentes que ocorrem durante o transporte de medicamentos aumentam os custos operacionais, incluindo despesas legais, gastos para a substituição de produtos danificados e perda de produtividade.

Além disso, com o gerenciamento de risco, você tem a certeza que o motorista autônomo que contratar para fazer o transporte é confiável e não tem avaliações negativas ou nenhuma pendência legal que possa comprometer a viagem.

Como fazer o gerenciamento de risco no transporte de medicamentos?

Existem algumas exigências e regulamentações no transporte de medicamentos que devem ser seguidas à risca. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é a principal entidade reguladora, mas outras normas também devem ser observadas. 

Inclusive, você conhece o Certificado de Boas Práticas de Distribuição e Armazenagem (CBPDA)? Ele é um documento emitido pela Anvisa que confirma que um estabelecimento cumpre com as regulamentações atuais sobre distribuição e armazenagem de produtos. Para conseguir esse certificado, as empresas têm que ser registradas no órgão e seguir todas as regras descritas aqui

E tem mais uma condição especial no transporte de medicamentos. De acordo com a lei, você precisa ter um farmacêutico responsável pelo processo logístico e cumprir regras específicas de armazenamento, transporte e documentação.

Algumas normas para ficar de olho

PORTARIA Nº 1.052, datada de 29 de dezembro de 1998: concessão da Autorização de Funcionamento necessária para realizar o transporte de produtos farmacêuticos sob vigilância sanitária.

RESOLUÇÃO Nº 433, emitida em 26 de abril de 2005: função do farmacêutico nas empresas envolvidas no transporte de medicamentos.

RESOLUÇÃO Nº 329, datada de 22 de julho de 1999: procedimento de inspeção a ser seguido ao avaliar empresas de transporte de medicamentos e insumos farmacêuticos.

RDC 430/2020, publicada em 8 de outubro de 2020: implementação das Boas Práticas nos processos de Distribuição, Armazenagem e Transporte de Medicamentos.

Cuidados especiais

Como você viu, o transporte de medicamentos requer cuidados especiais. Olha só alguns deles!

  • Armazenagem adequada, com controle de temperatura;
  • Ventilação e proteção contra elementos externos (umidade, poeira);
  • Garantia da estabilidade do produto;
  • Acondicionamento correto em embalagens apropriadas;
  • Segurança, com a ajuda de um farmacêutico responsável;
  • Conhecimento das regulamentações e legislações;
  • Treinamento constante para os profissionais envolvidos;
  • Contração de caminhoneiros autônomos qualificados e confiáveis;
  • Roteirização inteligente para evitar roubos e avarias.

O transporte de medicamentos é um grande desafio por todas as suas especificidades. Para garantir que esses produtos essenciais cheguem com segurança e eficiência ao seu destino, o gerenciamento de risco se torna fundamental.

É importante seguir todas as regulamentações e normas, investir em tecnologia de rastreamento e contar com profissionais capacitados. A prevenção de roubos, acidentes e estar preparado para lidar com os desafios de manter a temperatura é essencial para garantir a qualidade dos medicamentos e a segurança dos profissionais envolvidos.

Nós, da Fretebras, entendemos a importância do gerenciamento de risco no transporte de medicamentos e estamos aqui para deixar as suas viagens muito mais seguras. Quer saber como isso acontece? É só clicar aqui!

 

Compartilhe: