Fretes e cargas: entenda essa relação!

2020-02-04T00:59:05-03:0021/11/2019|Categorias: Logística e Transportes|

Você sabe qual é a relação entre os conceitos de fretes e cargas? A Tabela de Fretes da ANTT, que foi desenvolvida em 2018, estabelece os valores mínimos que devem ser praticados em um transporte. Para o cálculo, são consideradas algumas variáveis que influenciam o preço, sendo uma delas o tipo de carga.

Entender essas variações é um dos meios para precificar corretamente o seu serviço e o do condutor do caminhão, de maneira que ninguém saia no prejuízo. Hoje, vamos mostrar a você como funciona o cálculo do frete e os riscos de não atentar a esse fator. Continue a leitura!

Como funciona o cálculo do frete?

O cálculo do valor do frete é baseado tanto nas mercadorias quanto no trajeto. Para ter uma base dos preços mínimos, é indicado consultar a Tabela de Fretes da ANTT, que definiu referências e variáveis para que a transportadora e o caminhoneiro possam fazer as multiplicações, considerando a quilometragem, o valor da diária e outros fatores que envolvem um transporte.

Entre os custos que variam conforme a entrega, está o tipo de carga. Isso porque o valor do frete dependerá de determinadas questões, sendo necessário verificar, por exemplo, se a mercadoria é considerada perigosa, se é valiosa, se é viva, se é perecível, se é a granel e o peso dos itens que são transportados.

Essas características são consideradas na relação fretes e cargas porque influenciam os cuidados que devem ser tomados e os riscos aos quais os condutores estão expostos. As mercadorias vivas precisam de transporte rápido, e os alimentos perecíveis necessitam de embalagens e caminhões específicos, por exemplo.

Como é formada a tabela de frete?

A tabela da ANTT divide as variáveis que refletem no frete em duas categorias. A primeira delas é a de custos fixos, que são aqueles existentes e inalteráveis, independentemente da distância ou do tipo de entrega. Por exemplo, o salário do motorista, os encargos e a perda de valor do caminhão.

A segunda categoria é a de custos variáveis, que aumentam ou diminuem conforme o tipo de carga, de entrega, de quilometragem e, até mesmo, de manutenção dos veículos da frota. Também é importante ressaltar que existem, ainda, algumas taxas que influenciam os fretes e cargas de um transporte, como o ICMS, o pedágio, as taxas de devoluções e as restrições de trânsito e de armazenamento.

Qual é o risco de calcular o frete errado?

O frete é o valor que cobre os custos de cada entrega e ainda gera lucro para a transportadora, além de remunerar, de maneira justa, o condutor — seja ele contratado, seja ele terceirizado. Caso os serviços de coleta, transporte e entrega não sejam precificados corretamente, a empresa poderá apresentar prejuízos e falta de dinheiro para as suas operações.

Para ajudar nisso, já existem softwares e aplicativos que fazem a comunicação de fretes disponíveis e calculam, automaticamente, o preço mínimo conforme as características de cada entrega.

A relação entre fretes e cargas é direta e de total influência, uma vez que as especificidades de cada mercadoria interferem o preço praticado de cada entrega. Para não correr o risco de adotar valores errados, fique de olho no tipo de carga e nas tecnologias que ajudam nesse cálculo.

Agora que você conheceu a ligação entre os fretes e as cargas, siga as nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de mais dicas e novidades. Esperamos você no Facebook, no LinkedIn e no nosso canal no YouTube!

Compartilhe: