Setor de transportes se destaca na pandemia

2022-04-27T11:37:09-03:0009/12/2020|Categorias: Logística e Transportes|

Relatório trimestral, elaborado com dados da plataforma Fretebras, mostra a movimentação do setor de transportes com relação às ofertas de cargas durante o terceiro trimestre do ano.

A Fretebras apresentou o Relatório do Setor de Transporte de Cargas – referente ao terceiro trimestre de 2020 – com as movimentações do mercado de fretes e projeções para esse tipo de transporte no Brasil.

O trabalho é elaborado a partir de dados da base da plataforma que conta com mais de 17 mil empresas assinantes publicando, em média, 900 mil fretes por mês para cerca de 640 mil caminhoneiros cadastrados.

 

Pandemia e transporte rodoviário de cargas

Entre os fatos mais relevantes desse ano atípico para o setor de transporte, com os efeitos da crise provocada pela pandemia do Covid-19, o relatório destaca:

O segundo trimestre de 2020 registrou uma queda de 8% na oferta de fretes em relação ao trimestre anterior, em especial no mês de abril. Porém, a retomada foi muito expressiva, com 101% de aumento da oferta no terceiro trimestre.

São Paulo foi responsável por 25% dos fretes em 2020, enquanto Pernambuco ficou com a menor marca do ranking, 2%.

No terceiro trimestre, São Paulo registrou um aumento nas ofertas de fretes de 158%, liderado pelo transporte de Máquinas e Equipamentos, Fertilizantes e Alimentos. Os estados de Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul também tiveram mais do que o dobro de ofertas no período (139%, 179% e 199%, respectivamente).

 

Cargas que mais movimentaram o cenário

Os três produtos que mais movimentaram o setor de transportes até o fim do 3º trimestre de 2020 em Minas Gerais foram: Cimento, Siderúrgicos e Alimentos, somando mais de 110% de aumento em relação ao trimestre anterior. No Paraná, milho, fertilizantes e alimentos mais uma vez tiveram melhor desempenho com mais de 100% de aumento de oferta.

 

Portos que se destacaram

Os cinco grandes portos brasileiros que mais se destacaram em fretes foram: Rio Grande (RS), Rio de Janeiro (RJ), Paranaguá (PR), Santos (SP) e São Luís (MA). Juntas. Essas regiões somaram um aumento de 71% na oferta de cargas no período de Janeiro a Setembro de 2020 em relação ao ano passado e movimentaram o setor Brasil afora.

 

Carrocerias por região

No que diz respeito às carrocerias por região, as do tipo graneleiro, baú e grade baixa foram responsáveis por mais de 90% dos fretes em 2019 e 2020. Ao comparar os terceiros trimestres desses dois anos, a elevação de cargas para essas carrocerias chegou a casa dos 84%.

 

Preço médio do frete

O valor do preço médio do frete subir 3% no terceiro trimestre, comparado ao mesmo período de 2019, segundo o Relatório do Setor de Transporte de Cargas – 3º trimestre 2020 elaborado pela Fretebras. A região centro-oeste tem o preço médio mais alto, R$ 4,79.

Com as informações do Relatório, não é difícil constatar que o segmento enfrentou muito bem a crise causada pelo Coronavírus em 2020, trazendo bons resultados nesses meses conturbados em todos os setores da economia, em nível mundial. O estudo mostrou a reação na oferta de fretes e os resultados expressivos alcançados, apesar do cenário econômico desfavorável.

O setor de transporte brasileiro, destacado como essencial durante o período de isolamento e restrição de atividades decretados por causa da pandemia, deve sair fortalecido desse episódio inédito que abalou as estruturas de todas as nações.

As projeções agora são positivas para o Brasil e apontam para uma retomada gradual na economia, com a alta no dólar trazendo boas perspectivas para as exportações e para a oferta de fretes.

Teste a ferramenta da Fretebras por 7 dias grátis

Compartilhe: