Análise do custo da rota: dicas de como definir o preço do frete

2020-09-02T17:06:21-03:0027/08/2020|Categorias: Logística e Transportes|

Definir o preço do frete pode ser menos complicado do que parece e a tecnologia pode ajudar.

Os custos de transporte podem afetar a rentabilidade do negócio. Por esse motivo, a definição do preço do frete deve prezar pelo equilíbrio entre o controle de custos e as condições atraentes para os clientes. A questão é relevante e precisa ser tratada com muito cuidado.

Para estruturar os cálculos, as transportadoras geralmente utilizam como base todos os custos gerados na operação, o que pode ajudar a formar um preço do frete mais justo para todos os envolvidos. 

Assim, não é difícil concluir que a distância tem relação direta com o valor cobrado. Desta forma, quanto maior for o percurso, maiores serão os gastos de combustível, pedágios, pneus e mais alto será o custo do transporte, e o preço do frete tende a acompanhar. Mas é só isso?

Destacamos 6 dicas para ajudar a definir o preço do frete:

1 – Considerar a localização dos clientes

O preço de frete leva em conta a localização dos clientes para ser definido. Fazer um mapeamento ajuda a descobrir para onde vai a maioria das cargas da transportadora, bem como descobrir qual é o frete médio para a região, o que ajuda a entender os custos e definir os preços.

2 – Analisar a concorrência

A ideia continua valendo no mercado: acompanhar os preços praticados pelos concorrentes ajuda a manter a competitividade da empresa. Na maioria das vezes, o cliente tomará sua decisão com base nessa comparação e fechará negócio com quem oferecer o melhor preço de frete.

3 – Considerar o destino da carga

As dificuldades na entrega para o destinatário também podem influenciar no cálculo do preço do frete. A inclusão de uma taxa extra para a prestação do serviço ajuda a valer a pena a viagem para um local com dificuldade de acesso, por exemplo.

4 – Outros modais

Existem algumas situações nos trajetos rodoviários em que é necessário contar com outros modais, como utilizar uma balsa, por exemplo, como acontece com frequência no norte do país. Essas particularidades devem influenciar na formação do preço do frete, fazendo com que ele seja maior.

5 – Verificar as características da carga

Transportar medicamentos, obras de arte ou mesmo alimentos pode exigir embalagens mais reforçadas, manuseio adequado, veículo adaptado e transporte rápido. Certamente devem alterar os cálculos do preço do frete. Afinal, são cargas com características especiais ou valiosas, que envolvem maiores cuidados. 

6 – Incluir taxas e tributos

A formação do preço do frete também envolve algumas taxas, que precisam ser verificadas no momento da contratação, como a de coleta e entrega, de restrição do trânsito (TRT) e de reentrega, por exemplo. Deve-se incluir nessa conta a cobrança dos tributos e os pedágios que envolvem a operação de transporte. 

A tecnologia pode ajudar

O uso da tecnologia é essencial para agilizar as operações, principalmente no campo da logística. Afinal, entregar o produto certo, no local correto e no dia combinado é o objetivo maior de quem transporta mercadorias pelo Brasil afora.

A boa notícia é que existem muitas soluções no mercado para ajudar o dia a dia das empresas e o uso da plataforma da FreteBras traz várias. Entre elas, uma funcionalidade chamada Análise de Rota, disponível para as empresas associadas, que permite encurtar o caminho na definição do preço do frete. Ela facilita o estudo das rotas e dos preços que estão sendo praticados para o transporte de cargas. 

As informações que abastecem a ferramenta para a publicação de cargas ajudam a compor a análise e obter uma média de preço do frete, uma solução ideal para quem deve transportar produtos novos ou ir a lugares para os quais nunca trabalhou. 

Assim, quem vai fazer a rota São Paulo – Rio Grande do Sul pela primeira vez, por exemplo, e precisa saber quanto em média cobra um Baú nessa rota, consegue facilmente a informação através dessa análise, que proporciona essa visão mais qualificada para que a empresa também consiga chegar ao preço do frete de acordo com o mercado.

Uma análise como essa é de vital importância nos dia de hoje, em que a concorrência é muito grande, pois para negociar bem o preço do frete a transportadora precisa saber o que o mercado está trabalhando. A ideia da FreteBras com essa contribuição é garantir às associadas o poder de negociação.

Análise de dados

Em outras palavras, o aparato de análise de dados da FreteBras difunde um panorama completo sobre os insights do mercado contemporâneo de transporte de cargas no Brasil, com um histórico de informações significativas sobre os mais variados tipos de cargas transportadas, bem como o perfil das frotas de veículos.

Assim, é possível compreender os itinerários predominantes por cidade, estado e região, fazer uma análise de tipos e carrocerias prevalecentes de veículos diversificados e identificar os principais produtos transportados.

A funcionalidade de Análise de Rota é confiável e precisa, afinal passam pela a plataforma mais de 400 mil ofertas de fretes por mês, para várias cidades e com produtos diversos, uma participação muito grande que serve de base para o preço do frete compatível com o mercado.

Como se pode ver, as informações são essenciais para a tecnologia, que traz mais agilidade à operação. Isso é uma realidade até mesmo para o caminhoneiro autônomo. Quando ele faz checkin em um aplicativo de cargas, por exemplo, quer encontrar trabalho o mais rápido possível e são as informações sobre o frete que vão direcioná-lo e otimizar o processo. 

Sendo assim, é importante que a publicação da transportadora responda as perguntas básicas que ele vai fazer mentalmente: o que querem que eu leve, para onde e qual é o preço do frete. As respostas a essas perguntas facilitam a negociação e o trabalho de transporte das mercadorias.

Para conhecer os planos e preços da FreteBras e entender mais sobre a funcionalidade de análise de rotas da plataforma para empresas, clique aqui.

Compartilhe: