Estratégia de negociação de fretes

2020-06-17T16:33:21-03:0018/06/2020|Categorias: Logística e Transportes|

Uma das etapas mais estratégicas da operação logística para transportadoras é o momento da negociação de fretes. Capacitação e tecnologia dão o tom para o sucesso da empreitada. Quer saber mais? Acompanhe o artigo.

Que o setor de logística nos últimos anos virou uma área estratégica para as empresas, todo mundo já sabe. E que os custos do frete abocanham boa parte dos lucros também. Todos concordam então que a boa negociação de fretes, sem abrir mão da qualidade do serviço prestado, é a melhor forma de equilibrar essa conta.

Não é difícil concluir que estão concentrados na evolução das negociações o aumento do faturamento e as projeções para o avanço da empresa.  Nesse cenário, a tabela de fretes é uma ferramenta que pode trazer benefícios aos envolvidos na operação.  Ela determina os preços mínimos para o transporte de cargas, em valores foram fixados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e define um padrão para a negociação.

O que vem depois vai depender da habilidade da equipe que lida com orçamentos. Na verdade, a negociação de fretes deve ser rotina de um time estrategicamente capacitado em operações que envolvem transportadoras e caminhoneiros autônomos. 

Vale ressaltar que, em meio à competitividade do mercado, controlar e gerenciar dados relativos aos fretes pode ser tornar tarefa ainda mais complexa sem o apoio da tecnologia nas operações logísticas. 

Na verdade, hoje em dia é quase impossível haver espaço para a execução de trabalhos de forma manual, que leva a possibilidade maior de erros, sendo que é possível contar com a automatização, inclusive na negociação de fretes.  

Por fim, não se pode esquecer o mais importante: a satisfação do cliente, aquele que move o mercado. Por isso, além de promover a negociação de fretes por um bom preço e reduzir custos, para as empresas é imprescindível colaborar e muito para a satisfação desse cliente com a prestação de um bom serviço.

Destacamos alguns pontos fundamentais para a negociação de fretes:

1 – Conheça bem a carga

Antes de iniciar qualquer negociação de fretes, o ideal é conhecer bem a composição e o volume da carga. Assim será possível determinar se os envios devem ser fracionados ou fechados, qual a demanda por período, o percentual de itens frágeis ou valiosos, entre outras características.

Isso ajuda a definir o preço do frete, bem como os descontos no caso de alto volume, além de facilitar o trabalho na hora de identificar as transportadoras especializadas. No final, a ideia é que fique definido exatamente o que será necessário e a média de preço.

2 – Conheça bem o destino da carga 

Fator muito utilizado para a base de cálculo, o destino ou a quilometragem são informações importantes para a negociação de fretes. Além disso, conhecer a região em que se concentra o maior volume de vendas, bem como seu padrão de entregas, ajuda a dirigir esforços para negociar no lugar certo. Contar com ferramentas tecnológicas que auxiliem nessas pesquisas é essencial.

3 – Faça cotações 

Buscar informações em mais de uma transportadora ajuda a identificar o melhor custo-benefício, aumenta o poder de barganha e permite que se chegue à melhor opção para a negociação de fretes, conforme o que o mercado está oferecendo no momento. Usar ferramentas de cotação online é uma boa opção para quem quer crescer e isso significa que pode ser feito através de uma plataforma online. A velocidade e a diversificação estão entre as maiores vantagens dessa opção. 

Os assinantes da plataforma de fretes da Fretebras, por exemplo, contam com uma funcionalidade chamada “Análise de Rota” em que a transportadora pode visualizar o valor médio aplicado nas rotas. De acordo com o diretor de Operações, Bruno Hacad, a função na verdade traz a possibilidade de analisar a evolução histórica da média de preços dos fretes anunciados na ferramenta. “Como são 400 mil fretes por mês, de origens, destinos e tipos de produto variados, a funcionalidade permite verificar o valor médio aplicado em uma ampla oferta de rotas e, dessa forma, tomar melhores decisões sobre os custos sendo pagos pelos fretes da empresa”, explica.

4 – Pense no ganha-ganha 

O negociador precisa estar preparado para fazer concessões, em vez de tentar a todo custo chegar a uma proposta irrecusável. Afinal, o resultado precisa ser bom para ambas as partes, não é uma competição. Assim, é muito importante manter uma postura cordial, ter firmeza nos argumentos e flexibilidade de modo a criar um ambiente agradável de negociação. 

Quem tem as informações mais relevantes sai na frente e, nesse caso, o dono da carga está em vantagem na hora da negociação de fretes. O cenário está propício, há muito caminhão no mercado e o preço do frete está mais baixo.  O melhor caminho é agir com lucidez, focar no objetivo para conquistar a confiança da outra parte. Nesse momento, ética e verdade andam de mãos dadas.

5 – Busque auxílio especializado 

Buscar o auxílio de empresas especializadas ou ferramentas que tornem mais simples o processo de negociação é uma boa estratégia. Cadastrar-se em uma plataforma para contratação de motoristas autônomos pode ser uma boa pedida. Ela disponibiliza propostas aos profissionais após o cadastramento do frete. A plataforma também é útil para o frete de retorno ou para quem tem espaço sobrando no caminhão. 

A plataforma da Fretebras auxilia na negociação de fretes, na medida em que traz informações para segmentar os preços por tipo de produto, tipo de veículo e tipo de carroceria, de maneira flexível e assertiva para diferentes necessidades e diferentes operações. “Com essas e outras funções, a tecnologia da Fretebras auxilia empresas e transportadoras a contratarem caminhoneiros de forma rápida, agilizando processos e equacionando o controle de custos”, garante o diretor de Operações, Bruno Hacad.

Gostou do artigo? Leia mais no Blog da Fretebras. Para saber mais sobre como funciona a plataforma para empresas da Fretebras, clique aqui.

Compartilhe: