A ocorrência frequente de acidentes de trânsito é um dos grandes problemas que o Brasil enfrenta. Só em 2022, foram quase 65 mil casos nas rodovias brasileiras, de acordo com a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Mas por que esse número é tão alto? E o que você pode fazer para não entrar nessa estatística? 

A gente vai te contar tudo, para que as suas viagens sejam muito mais tranquilas e seguras. Bora!

Principais causas dos acidentes de trânsito

Os especialistas atribuem três fatores à ocorrência de acidentes: a condição dos veículos, a situação das vias e o fator humano. A última circunstância mantém relação com 90% dos casos. Isso porque mesmo se uma via estiver mal sinalizada ou com pavimentação precária, é dever do motorista reduzir a velocidade para se adaptar

E há muito o que se adequar de acordo com a Pesquisa CNT de Rodovias 2022, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte e pelo SEST SENAT. Foram 110.333 quilômetros analisados, sendo que mais da metade da extensão apresentava problemas. A situação das rodovias brasileiras foi responsável pelo desperdício de 1 bilhão de litros de diesel (R$ 4,89 bilhões). 

E você tem se preparado para pegar estrada com segurança, mesmo nas condições desfavoráveis?

Segurança no transporte de cargas

Se liga no que está nas suas mãos (e pés também) para evitar acidentes de trânsito! A gente reuniu as atitudes que vão deixar você e o seu caminhão longe de situações indesejadas nas estradas.

Aproveite os momentos de descanso

Sono e volante não combinam. Nesse sentido, existe a Lei do Descanso, sancionada em 2012. Ela determina que o caminhoneiro faça paradas de 30 minutos a cada quatro horas na direção. O intervalo mínimo de uma hora destinado à refeição deve ser respeitado. Por fim, é indicado o período de 11 horas separando uma viagem e outra.

Garanta a utilização do veículo correto

Cada mercadoria exige necessidades especiais de transporte. É preciso estar atento ao seu negócio a fim de garantir a integridade da carga. Insumos frigoríficos, por exemplo, demandam baú com vedação, revestimento térmico e resfriamento. Modelos como VUC, truck e carreta são os indicados à categoria.

Ao transporte de bebidas, indicamos o caminhão tipo Sider. Ele possui abertura lateral que facilita a carga e descarga, vedação e boa circulação de ar. Os grãos, por sua vez, vão muito bem em caminhões do tipo carreta, carreta LS, bitrem tipo graneleiro e rodotrem. Afinal, será preciso das lonas de vedação na parte superior para realização do transporte correto. 

Seja qual for o item, estude as características dele relacionando com o modelo de veículo ideal.

Cumpra uma rotina de manutenção

Elabore um cronograma de manutenção, considerando as necessidades do seu caminhão. Siga rigorosamente esse compromisso para minimizar as chances de problemas na estrada.

No planejamento, atente-se aos detalhes, estabelecendo dias e horários específicos para as avaliações. O profissional encarregado da manutenção deve ser bem qualificado, a fim de garantir uma avaliação precisa, em vez de uma mera conformidade.

Para facilitar o processo, recomendamos a criação de um checklist, incluindo pontos como:

  • Inspeção dos pneus e freios;
  • Medição dos fluidos e temperatura do motor;
  • Verificação das emissões de CO₂;
  • Análise das luzes e faróis;
  • Inspeção da bateria;
  • Busca por peças soltas;
  • Verificação do óleo;
  • Identificação de danos, trincos e arranhões que possam comprometer o desempenho do veículo.

Trabalhe com rotas variadas

Você sabia que, antes de agir, uma quadrilha observa o “alvo” por algum tempo? Eles ficam de olho na rotina dos caminhoneiros, identificam qual é o trajeto escolhido com frequência e como funciona o descarregamento. Com as informações em mãos, eles planejam o melhor momento de ataque.

Por isso, diversifique as suas rotas, mesmo que, por vezes, o trajeto seja maior. Você também pode pesquisar as áreas de maior ocorrência de crimes e evitá-las. Em trabalhos frequentes, se for viável, alternar os dias de entrega — nem sempre toda terça-feira, por exemplo — também é uma ótima ideia.

Diminua o tempo de carga em repouso

Depois de algumas horas cruzando as estradas, parar um pouco é fundamental. Em outros momentos, o caminhão precisa ser reabastecido. Mas atenção: lembre-se de programar suas paradas

Escolha os locais que são realmente seguros, iluminados e contem com fiscalização ou apoio policial. Lá, permaneça o menor tempo possível. Carga em repouso pode representar risco. Ao repetir um trajeto, varie os lugares e horários. Os criminosos observam atentamente os detalhes.

Pratique a direção defensiva

A direção defensiva manda avisar que antes de sair costurando no trânsito, é bom dar uma conferida se as condições da pista estão favoráveis. Então, a regra número um é só ultrapassar se tiver certeza de que é seguro e somente quando a sinalização permitir (placa e faixa seccionada).

Respeitar os limites de velocidade também evita muita dor de cabeça. E olha, não custa nada dirigir na boa, sem correria. Melhor demorar um pouco mais e chegar inteiro, né?

Não vacile com o peso do caminhão! Se resolver carregar mais do que deve, todo mundo sai perdendo. Já viu um caminhão virando? Muitas vezes acidentes de trânsito desse tipo acontecem por causa do peso extra do veículo. 

Quando chegar nos trechos urbanos, a direção defensiva pede uma atenção extra. O movimento na cidade é bem diferente da estrada, muito mais tranquilo. Planejamento é o segredo do sucesso e o GPS do celular ajuda demais, mostrando as melhores rotas, com trechos possíveis para se atravessar de caminhão.

Por fim, não dá para esquecer do tamanho do veículo. Confiança é legal, mas certas manobras arriscadas não rolam. Nada de ultrapassagens apertadas, invadir a pista do outro ou fazer curvas como se estivesse num carrinho. Fechou?

Faça o gerenciamento de risco

O gerenciamento de risco é um plano para evitar acidentes de trânsito e outros problemas que podem complicar a sua vida no meio da viagem. E se alguma coisa der ruim, pelo menos você não fica perdido sem saber o que fazer. 

A gerenciadora de risco tem umas funções-chave, tipo criar o Plano de Gerenciamento de Riscos (PGR) com as regras do transporte seguro, ficar de olho e rastrear os caminhões. Eles também fazem uma análise do perfil dos caminhoneiros. A prática evita que as cargas caiam nas mãos de bandidos disfarçados de motoristas, o que seria uma baita furada.

E a análise do motorista é feita nas bases do governo e outras fontes públicas, para garantir que os dados sejam confiáveis. Tudo rola rápido, para não atrasar os fretes, mas sem abrir mão da segurança.

Agora, você já está pronto para seguir viagem em segurança, sem acidentes de trânsito. A gente está aqui para te dar a mão! Usamos tecnologia de ponta no gerenciamento de riscos para você fazer suas consultas de motoristas de forma rápida, precisa e confiável. Vem conhecer!

 

 

 

 

Compartilhe: