Iniciativas de empresas para ajudar o setor de transportes durante o coronavírus

2020-05-21T12:25:37-03:0013/05/2020|Categorias: Logística e Transportes|

Coronavírus: empresas se movimentam para ajudar o setor de transportes de carga. 

Com a permissão de funcionamento apenas para as atividades essenciais, diante da crise provocada pelo coronavírus, o Brasil se viu às voltas com o temor do desabastecimento, felizmente logo afastado pela postura firme de transportadoras e caminhoneiros. Mesmo em condições precárias, com postos de combustíveis, restaurantes e oficinas fechados também nas estradas, eles continuaram trabalhando para garantir que nada falte à população em isolamento social.  

Algumas empresas de grande porte têm sido solidárias com a população, anunciando doações para ajudar na batalha contra o vírus, tanto em espécie, como em insumos e infraestrutura. De acordo com o portal G1, a ajuda está vindo de empresas como Ambev, Bradesco, Diageo, General Motors, Gerdau, Hering, Itaú, Marfrig, Petrobrás, PSA Peugeot Citroen, Renner, Unilever, Vale e Volkswagem, entre outras. 

São respiradores hospitalares, álcool em gel, uniformes para os profissionais da saúde, máscaras para a população, produtos de higiene e limpeza, cestas de alimentação, testes rápidos e até a construção de um centro de tratamento já compõem a lista de benefícios.

Enquanto isso, com a demanda em queda, as empresas do setor de transportes rodoviários de cargas pedem ajuda ao governo. Afinal, quem transporta toda essa mercadoria também não pode ficar de fora de alguns benefícios, como a garantia de condições de trabalho, por exemplo, pois a atividade é imprescindível ao abastecimento da cadeia de suprimentos. 

Para manter o trabalho em ordem e os colaboradores em boas condições nesse momento de crise, transportadoras e centrais logísticas estão fazendo a sua parte: elas vêm seguindo as recomendações das autoridades de saúde, garantindo assim que as entregas sejam realizadas com segurança e responsabilidade.

Juntos pelo setor de transportes

Ciente da importância estratégica do setor de transportes de cargas, o governo federal anunciou medidas para atender algumas demandas dos caminhoneiros. Para começar, a atividade também foi definida por decreto como essencial, ou seja, ela está entre aquelas que não devem ser interrompidas no período de combate ao coronavírus. 

As CNHs vencidas desde 19 de fevereiro passaram a ter validade por tempo indeterminado e ficaram suspensos os prazos para recursos de multa e da suspensão do direito de dirigir.

O Ministério da Infraestrutura defendeu ajustes em decretos estaduais de restrição do comércio para restabelecer o funcionamento de serviços de suporte nas estradas, como oficinas, borracharias e pontos de alimentação para que o setor de transportes rodoviários de cargas continue funcionando normalmente. Sob o comando do Ministro Tarcísio Gomes de Freitas, a pasta suspendeu a atividade de postos com balanças de pesagem para fiscalização nas rodovias federais até meados de junho, conforme a BBC News Brasil. 

Foi aí que a Arteris, uma das maiores companhias do setor de concessões de rodovias do Brasil, com mais de 3.400 km administrados, transformou seus postos de pesagem de caminhões, ora fechados, em locais para banho, avaliações clínicas e estacionamento. 

Segundo o portal da revista Exame, a empresa alugou chuveiros e banheiros químicos e deslocou algumas ambulâncias para esses espaços com profissionais de saúde para medir a temperatura dos motoristas e dar instruções sobre o covid-19, prestando um grande serviço ao setor de transportes rodoviários. 

A Arteris distribuiu ainda cerca de cinco mil kits de higiene aos motoristas e instalou dispensers de álcool em gel nas cabines de pedágios. Para diminuir o contato pessoal nesses locais, firmou uma parceria com empresas de pagamento automático para distribuir tags gratuitamente, sem pagamento de mensalidade.

Muitas transportadoras estão distribuindo boletins informativos e kits com luvas, máscara e álcool gel aos seus motoristas. A Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR) informou à BBC News Brasil que também anunciou medidas preventivas como a distribuição de álcool em gel nas praças de pedágio e a instalação de postos de atendimento nas estradas para verificar a saúde dos caminhoneiros, como com a medição da temperatura corporal.

A Fretebras, maior plataforma de busca de fretes da América Latina, disponibilizou conteúdos para informar o setor de transportes. O webinar sobre o papel da tecnologia em tempos de quarentena que contou com a participação dos experientes executivos Bruno Hacad, da Fretebras, e Fabrício Beltrami, da Bsoft teve muita audiência. O tema rendeu também um E-book, já disponível

A empresa deu início à doação de R$ 1 milhão para custear refeições para caminhoneiros de todo o país, cadastrados no aplicativo. Alguns postos de combustíveis já foram selecionados para receber a ação, inclusive grandes redes como Trevo, cupim, Atlântico, Safrão, Gauchão, Canecão, Tio Zico e Paraky, que deve acontecer inicialmente nos estados de São Paulo, Minas gerais, Paraná, Bahia e Goiás.

A detentora da plataforma de fretes, que já estava distribuindo marmitas nos postos da Polícia Rodoviária Federal, na BR 050, em Catalão (GO) e Fernão Dias, em Atibaia (SP), vai ampliar a distribuição com o objetivo de diminuir os transtornos enfrentados pelos motoristas durante a quarentena.

Um site colaborativo também foi desenvolvido pela Fretebras para auxiliar os caminhoneiros. A ferramenta permite visualizar a situação dos postos por estado, de forma gratuita, atualizar as informações de um estabelecimento ou incluir dados de um novo local que ainda não está na plataforma. No total já estão mapeados 500 postos em 24 estados. Você pode conferir, clicando aqui.

Reivindicação importante

A Fretebras, maior plataforma de busca de fretes da América Latina, disponibilizou conteúdos para informar o setor de transportes. O webinar sobre o papel da tecnologia em tempos de quarentena, que contou com a participação dos experientes executivos Bruno Hacad, da Fretebras, e Fabrício Beltrami, da Bsoft teve muita audiência. O tema rendeu também um E-book, já disponível

A Fretebras, junto com as principais empresas de transporte rodoviário do Brasil e associações ligadas ao setor de transportes rodoviários, encaminhou uma carta ao Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, solicitando a suspensão em caráter excepcional da cobrança de pedágios dos Transportadores Autônomos de Carga (TACs) e das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas (ETCs) nas rodovias federais pelo prazo de 90 dias. 

A solicitação tem por objetivo reduzir os custos incorridos pelos caminhoneiros, uma vez que o valor gasto com pedágio chega a representar 45% do valor do frete em determinadas rotas. A iniciativa importante para o setor de transportes de cargas contou com as assinaturas de mais de 500 transportadoras.

Gostou do artigo? Leia mais em blog.fretebras.com.br 

Compartilhe: