Implementos rodoviários e capacidade de transporte

2022-07-20T17:05:38-03:0014/07/2022|Categorias: Logística e Transportes|

Num país como o Brasil, onde o modal rodoviário é responsável por 61% do transporte de cargas, a escolha dos implementos rodoviários é fundamental para uma logística eficiente e com o menor custo possível.

Até porque, escolhas erradas podem gerar multas, danificar as cargas e até mesmo o caminhão, além de colocar a vida do motorista em risco.

Já conhece bastante sobre os implementos rodoviários? Aqui a gente vai conversar sobre o que são eles, como considerar a capacidade de transporte e também as melhores opções pra cada tipo de carga. Vamos nessa?

Sem tempo para ler? Que tal escutar o áudio com o texto completo?

 

O que são implementos rodoviários?

Segundo a definição do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), um caminhão completo é a combinação de dois setores industriais: o do veículo automotor, composto por cabine, chassi, sistema de motor e tração; e pelo setor dos implementos rodoviários.

Implementos rodoviários são componentes do caminhão, responsáveis por carregar de fato as cargas para o transporte. Ou seja, reboques, semi-reboques e carrocerias são implementos rodoviários.

Ao anunciar fretes, é muito importante informar os detalhes sobre a carga, pra ter a certeza de que o tipo de carroceria que o motorista possui é o certo e não prejudicará os materiais transportados ou até mesmo o caminhão.

 

O que é capacidade de transporte?

A capacidade de transporte tem relação direta com a carroceria utilizada para o tipo de carga transportada.

Quanto mais bem aproveitado é o espaço dos implementos rodoviários, mais eficiente o frete se torna. Lembrando que excesso de peso gera multas aos motoristas, além do risco de acidentes e perda da carga. Isso sem contar com o desgaste gerado aos caminhões e às estradas.

Assim, é importante saber se a capacidade do implemento está sendo utilizada dentro dos limites estabelecidos pelo CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito).

Um outro ponto definido por lei é a tabela da ANTT para o valor do frete, segundo a carga transportada. É importante demais usar as referências de valor por peso transportado, já que quanto mais justo o valor do frete, mais rápido a sua empresa conseguirá resolver a sua carga com os melhores motoristas.

Confira aqui a tabela completa.

 

Composição da carga

Agora pensando em como otimizar o seu frete, é muito importante ter clareza de qual composição de carga é adequada. Isso porque é possível carregar carga complemento sem problema, dependendo da composição.

Chamamos de carga complemento aquela que ocupa apenas parte do espaço da carroceria, ou seja, ela é complementar ao que já está sendo transportado. Essa carga ocupa o espaço que estava vazio e pode ajudar motoristas e transportadoras a otimizarem o frete, fechando mais contratos ao longo da rota.

Pra te ajudar a entender melhor como compor as cargas, veja aqui os principais tipos de implementos rodoviários: cegonha, tanque e baú.

 

Cegonha

O caminhão cegonha é o tipo de implemento que te permite carregar até 11 carros. Se a carga for de motos, esse potencial é ainda maior.

Ela pode ser aberta ou fechada.

 

Tanque

O caminhão tanque é utilizado para carregar cargas líquidas, em pó ou materiais perigosos, como combustíveis.

É importante lembrar que existe uma lei própria para esse tipo de carga, uma vez que o motorista também precisa ter uma certificação pra fazer o transporte.

 

Baú

O baú é um dos tipos mais comuns, porque ele é um implemento completamente fechado, com apenas uma abertura para a carga e descarga. Também é conhecido como carreta sider.

É possível transportar diversos tipos de produtos em uma carreta sider, como bebidas, mantimentos, eletrônicos, peças automotivas, etc.

O fato de ser uma carroceria totalmente fechada protege a carga de chuva, poeira e demais situações que possam causar avarias aos produtos.

 

Capacidade de carga

Capacidade é o volume de carga que pode ser transportado dentro de um implemento rodoviário. Em outras palavras, é a quantidade máxima permitida de peso que um caminhão pode transportar.

Não confunda a capacidade de carga com o peso bruto total do veículo (PBT), beleza? O PBT é uma conta que soma os valores da tara do caminhão (ou o peso do veículo sem a carga) com o valor da lotação, que é o peso máximo da carga útil que o veículo pode carregar. A capacidade se refere somente ao que cabe no seu implemento.

Essa regra varia conforme os tipos de mercadoria – como dissemos, existem grandes diferenças entre transportar grãos, líquidos e veículos, por exemplo.

Por esse motivo, ao longo das rodovias o caminhão precisa passar por pesagem. Essa é a forma de fiscalização mais utilizada pra checar se o caminhoneiro está transitando em segurança e dentro da legislação.

 

Conclusão

Os implementos rodoviários são peças fundamentais na equação do transporte de cargas. Para cada tipo de carga, é importante confiar no caminhoneiro com a carroceria certa e respeitar os limites de peso.

Tudo isso favorece um melhor aproveitamento da capacidade de transporte daquele veículo e ajuda a otimizar o dinheiro do frete! Sem contar que motoristas e pedestres ficam mais seguros, além de evitar a deterioração das estradas do país, que já sofrem com os problemas de infraestrutura.

E você, costuma contar com qual tipo de implemento rodoviário? Se precisar de alguma carroceria específica, conte com a gente pra te ajudar!

Gostou do conteúdo? Para consultar outros textos como esse, visite o Blog Fretebras e não se esqueça de assinar a nossa newsletter!

Compartilhe: