Caminhoneiros demandam melhores condições nas rodovias brasileiras

2020-03-30T19:30:10-03:0030/03/2020|Categorias: Notícias e destaques|

Caminhoneiros demandam melhores condições nas rodovias brasileiras para não parar durante quarentena.

 Pesquisa da FreteBras indica que 23% dos postos nas estradas estão com diesel mais caro que o normal e 32% com as áreas de alimentação fechadas

Mapeamento revela ainda que quase 40% dos locais estão com duchas sujas ou indisponíveis e 31% com serviços de borracharia e mecânica interrompidos 

Empresa lança ferramenta para caminhoneiros se informaremcompartilharem como está a situação dos postos nas rodovias brasileiras.

São Paulo, março de 2020 – Os caminhoneiros brasileiros podem parar de circular se não encontrarem condições mínimas para atravessar o período de quarentena, o que causaria um desabastecimento geral de produtos de necessidade básica, como alimentos, produtos de higiene e limpeza e combustíveis. Alguns dos principais entraves para que a categoria deixe de rodar poderão ser o fechamento dos postos e a falta de locais para se alimentar e tomar banho nas estradas.

O alerta é da FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul, que realizou uma pesquisa com caminhoneiros de todo o Brasil para fazer uma radiografia da real situação dos postos de combustível e dos serviços oferecidos nas rodovias neste período de quarentena.

O levantamento questionou os caminhoneiros sobre o preço do diesel e 23% indicaram que está “mais caro do que o normal”. Sobre a alimentação, 32% responderam que “não está disponível”. Sobre o funcionamento da ducha nos postos a resposta de 18% foi que “não está disponível”. Outro ponto crítico foram os serviços de borracharia e mecânica – 31% responderam que “não está funcionando” e outros 11% confirmaram que está “mais caro do que o normal”.

Para ajudar os motoristas a planejar suas viagens, a empresa está lançando também uma ferramenta colaborativa online que permitirá mapear a situação dos principais postos em todo o Brasil. Através de um site, o caminhoneiro consegue consultar a situação dos postos mapeados e informar as condições de um novo posto que não consta na lista. 

“Se os caminhoneiros não encontrarem uma infraestrutura adequada nas rodovias, corremos o risco de interromperem suas viagens, o que irá agravar ainda mais a crise que estamos enfrentando com um desabastecimento geral de itens de primeira necessidade”, avisa Bruno Hacad, Diretor de Operações da FreteBras. 

“Desenvolvemos uma ferramenta colaborativa que será fundamental para ajudar os caminhoneiros a rodarem com previsibilidade em suas rotas e para não parar o abastecimento de comidas e remédios por todo País. Contaremos com a ajuda deles para mapear novos postos e todos conseguirão acompanhar em tempo real como estão operando estes estabelecimentos. Eles poderão atualizar a situação de um posto já mapeado ou incluir a situação de um posto novo que ainda não constar na plataforma”, completa. 

A ferramenta da FreteBras já tem 500 postos mapeados em 24 Estados brasileiros e pode ser acessada no site.

A matéria completa você pode conferir no site da CNN Brasil, pelo link.

CNN Brasil


RESULTADOS GERAIS DA PESQUISA

  • Como está o diesel no posto?

– 57,6% está OK

– 23,3% mais caro que o normal

– 16,9% mais barato que normal

– 2,2% não está funcionando

  • Como está a alimentação / comida no posto?

– 46,9% está OK

– 32,3% não está disponível

– 18,4% mais caro do que o normal

– 2,4% mais barato do que o normal

  • Como está a ducha / banho no posto?

– 61,5% limpa

– 20,1% suja

– 18,4% não está disponível

  • Como está a parte de borracharia / mecânica no posto?

– 56,4% está ok

– 31,1% não está funcionando

– 11,1% mais caro do que o normal

– 1,4% mais barato do que o normal


Para conferir a página exclusiva com o mapeamento dos postos, clique aqui.

Compartilhe: